SPIN-OFF INEGI “O NOSSO PARCEIRO NATURAL QUANDO ESTAMOS A TENTAR RESOLVER PROBLEMAS CIENTÍFICOS É O INEGI” – OPT

09-01-2017
A relação é umbilical e parece estar para durar. Já diz o ditado “em equipa que ganha não se mexe” e ambas as partes decidiram não mexer. A OPT - Optimização e Planeamento de Transportes, S.A. - é uma empresa com 24 anos de existência, pioneira em Portugal no desenvolvimento de projetos de I&D em planeamento operacional de transportes coletivos, que é uma spin-off do INEGI.

Corria o final da década de 80 e no Instituto de Ciência Aplicada e Tecnologia, associado à Faculdade de Ciências de Lisboa (ICAT/FCUL), e no INEGI, associado à Faculdade de Engenharia do Porto, havia um conjunto de investigadores debruçados sobre o estudo de uma problemática: como otimizar o planeamento operacional das empresas de transportes que lhes estavam mais próximas, a Carris e a STCP, respetivamente. Isto é, a título de exemplo, como minimizar o número de viaturas ou o número de condutores necessário para cumprir determinado nível de oferta.

Vai daí, decidiram unir forças para encontrar soluções. Juntaram a Carris, a STCP, a Horários do Funchal, a empresa que deu origem ao Grupo Barraqueiro e a Vimeca e partiram para um concurso para obterem um financiamento. Conseguiram. A partir daí, do consórcio nasceu o projeto, do projeto despontou o sistema GIST – Gestão Integrada de Sistemas de Transportes – e estava feita a antevisão para o pontapé de saída que daria origem à OPT. Embora a sua identificação marque 1992 como ano de nascimento, é cinco anos depois, em 1997 que se inicia a sua atividade empresarial com o lançamento do sistema GIST, atualmente na sua terceira versão e em permanente utilização em algumas das maiores empresas de transporte nacionais, como a Carris, a STCP e os Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra, entre outras.

“A partir de 1997, quando começamos a abordar a fase do escalonamento de pessoal tripulante, começamos também a enveredar por outras áreas - já na década de 2000 - como a produção de informação para o público que nestas últimas décadas tem mudado completamente aqui no Porto e em Lisboa”, refere Fernando Vieira, Diretor Geral da OPT.
E é nesta área da produção de informação para o público, privilegiando a produção automática da informação que querem apostar mais atualmente, em particular no mercado internacional.

Para o Diretor Geral da OPT, a ligação da empresa à lógica de investigação nem sempre é boa do ponto de vista do negócio porque estão sempre “mais direcionados para resolver novos desafios do que propriamente para rentabilizar aqueles que já foram resolvidos”. Todavia, é com novos desafios que a relação com o INEGI se constrói e consolida. “O nosso parceiro natural quando estamos a tentar resolver problemas científicos é o INEGI. Temos pessoas que faziam parte da equipa que ainda lá estão e a relação sempre funcionou bem. Se nós hoje estamos cá é porque estas coisas são possíveis”, salienta.

A OPT é hoje uma empresa com 10 funcionários e um volume de negócios que tem vindo a oscilar entre os 700/800 mil euros anuais. Da sua lista de projetos mais emblemáticos constam o SMS Bus – sistema de informação à paragem em tempo real via SMS – ou o MOVE-ME – sistema que disponibiliza ao utilizador final um conjunto detalhado de informações proveniente de diferentes operadores de transporte público, permitindo planear rotas intermodais em tempo real. Para o futuro, garantem que a aposta chave passa por ter a capacidade de apresentar uma “oferta diferenciadora”, numa lógica de “soluções integradas”, não só mantendo o foco no campo da informação ao público, mas também “na ligação com o cliente do nosso cliente, na ligação com o passageiro”.

INEGI
Universidade do Porto
CONTACTOS E LOCALIZAÇÃO
Linkedin Facebook Youtube Twitter
© INEGI 2011 | Política de Privacidade | Ver mapa do Site